Copa do Mundo 2022: como o marketing pode ajudar nas vendas?

Um pouco de história

A primeira competição internacional de futebol, a Copa do Mundo, organizada pela Federação Internacional de Futebol-FIFA, ocorreu em 1930. O Uruguai foi o escolhido para sediar o evento por ter sido o grande campeão dos dois torneios internacionais anteriores quando estes ainda eram vinculados aos Jogos Olímpicos.

A competição ocorre de quatro em quatro anos, e o grande responsável pela realização do primeiro evento futebolístico internacional foi Jules Rimet, que foi presidente da federação por mais de 30 anos. O Brasil é o país com mais títulos na competição. Somos pentacampeões, além de sermos a única seleção que participou de todas as Copas do Mundo até aqui realizadas.

Algumas curiosidades

A 22ª edição da Copa do Mundo, com sede no Catar, terá sete cidades-sede e inicia em 20 de novembro, encerrando em 18 de dezembro de 2022. Serão quase 30 dias de um dos eventos mais importantes do mundo esportivo.

É a primeira vez que um país do Oriente Médio sediará o torneio. Também é a primeira vez que o evento ocorrerá no fim do ano e não no período de costume. Esse fato se deve ao extremo calor que faz no Oriente Médio no meio do ano.

Além disso, o formato atual da competição, com 32 equipes participantes, não mais existirá. Em 2026, serão 48 países a participar e os países cotados para sediar são: Canadá, México e Estados Unidos.

“Pela primeira vez na história, teremos o Natal na sequência da Copa do Mundo, o que pode influenciar positivamente o movimento na grande maioria do comércio, o que significará mais empregos e renda”, ressalta o presidente do Sindivarejistas, Sebastião Abritta.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – CNC divulgou recentemente um estudo em que faz uma projeção de R$ 1,48 bi em vendas no comércio e serviços para a Copa do Mundo. Se os prognósticos se concretizarem, o mercado varejista brasileiro e o setor de serviços devem registrar um faturamento 7,9% maior em comparação com a Copa de 2018, realizada na Rússia.

De acordo com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) serão injetados R$ 20,3 bilhões no varejo e na economia. Por essa razão, o varejo e o setor de serviços estão investindo alto no evento de 2022.

A expectativa é grande tanto por parte dos comerciantes quanto dos consumidores, visto que existe uma estimativa de que cerca de 60 milhões de brasileiros pretendem fazer compras no comércio e no setor de serviços neste período.

O comportamento do consumidor

Recentemente, a plataforma Google realizou uma pesquisa com o termo “Copa do Mundo de 2022” e observou um aumento de busca no mês de outubro deste ano, em comparação com qualquer outro mês de 2022. Alguns dados significativos:

78% de aumento de buscas pelo tema no mês de outubro

65% dos brasileiros, que pretendem assistir à Copa de 2022, já se encontram engajados e estão consumindo notícias sobre a competição;

31% já se informaram sobre o tema pelo Google/YouTube. Entre os pesquisados, 23% pretendem comprar roupas temáticas e 40% acompanharão os jogos com a família em casa.

Em outra pesquisa, realizada pela Behup no segundo semestre de 2022, indica que:

56% dos entrevistados pretendem comprar algum tipo de produto durante a competição. Destes, 72% também pretendem comprar na Black Friday.

O estudo ainda relacionou as categorias com maior intenção de compra durante o período da Black Friday e da Copa do Mundo:

34% Roupas e acessórios;

33% Smartphone;

33% Eletrônicos;

27% Eletrodomésticos.

Marketing, fator preponderante

Se a ideia é alavancar as vendas, os dados mencionados são bastante otimistas e promissores. É um excelente momento para aproveitar e fazer campanhas, principalmente nas redes sociais, que sejam ligadas ao evento.

O marketing é um grande suporte para atrair mais consumidores e criar engajamento entre determinado evento e os produtos e serviços realizados por uma empresa. Não se pode fugir de duas palavras tão batidas, mas imprescindíveis: inovação e transformação digital.

São ideias diferentes que atraem mais clientes e consumidores, e este é o objetivo principal do marketing. Todavia, para produzi-las, o mercado precisa de profissionais gabaritados e capacitados que farão a diferença. De nada adianta entregar mais do mesmo, ser só mais um.

É necessário apresentar campanhas que criem conexão instantânea com o espectador, além de entregar um conteúdo impecável, que encha os olhos e contagie, especialmente quando se fala de uma paixão nacional: o futebol.

Como vender mais

  • Vista-se de verde e amarelo e entre no clima
  • Antecipe-se!
  • Invista em marketing de conteúdo e crie posts ligados ao evento, fazendo a relação com seus produtos e serviços
  • “Use e abuse” das redes sociais e desenvolva muito conteúdo, pois elas serão as principais fontes de notícias sobre o evento. São estimadas 2.8 bilhões de impressões para o período
  • Crie promoções, brincadeiras, enquetes, tudo com direito a prêmios. Dessa maneira, você gera engajamento e fidelização do cliente
  • Explore e faça trocadilhos, nos seus conteúdos, com os termos do “futebolês”, como driblar, torcer, marcar gol, aumentar o placar, etc
  • Tenha uma estratégia de marketing e de vendas muito eficaz
  • Informe-se sobre as regras do uso da marca “Copa do Mundo”, FIFA, etc.

O consumidor se acostumou com as facilidades da compra on-line

No caso da Copa do Mundo, o evento é uma ‘paixão’ nacional e envolve uma grande mobilização popular. As pessoas decoram casas, ruas, carros e ampliam o consumo de petiscos e bebidas, reflexo da integração social nos dias de jogos. Mas há também o aumento no consumo de bens duráveis. Não será difícil ver os varejistas trabalhando com estratégias criativas para o período. Independentemente do setor, utilizando de criatividade, o empresário poderá aproveitar essa oportunidade”, explicou Artur Motta, professor de empreendedorismo e marketing da Fundação Escola de Comércio Alvares Penteado (Fecap).

O brasileiro tem verdadeira paixão por futebol e a Copa do Mundo é um evento de união social e de integração. A euforia está solta e, com ela, o consumo também. Nesse sentido, é preciso saber aproveitar o momento e iniciar a oferta de produtos bem antes do seu início, ainda mais com a Black Friday acontecendo concomitantemente.

Contudo, é preciso lembrar que os consumidores mudaram seus hábitos de compra. A transformação é visível e é necessário adequar-se a ela. O consumidor aprendeu a comprar on-line, sobretudo depois da pandemia, e se acostumou a receber seus produtos no conforto do seu lar e não pretende abrir mão dessas facilidades e comodidades que o E-commerce proporciona.

Gostou do conteúdo e está animado com a possibilidade de alavancar suas vendas? Que ótimo! Mas como está o trabalho de marketing da sua empresa?

Se estiver precisando de ajuda, conte com quem tem a expertise do negócio. Venha conhecer o trabalho da Digital Business e se sobressaia aos concorrentes!

Artigos relacionados

Mercado varejista, consumidor e digitalização

Transformação do modelo operacional varejista

O Marketing digital em 2022

Mostrar comentáriosFechar comentários

Deixar um comentário

um × cinco =