A Cultura de Inovação – parte II

A diversidade é inovação?

Para uma boa parte dos especialistas da área, a diversidade “é condição sine qua non”, é um dos ingredientes fundamentais para qualquer inovação. É muito importante uma empresa conseguir representar o que os seus consumidores são, pensam, dentro do seu time, da sua empresa. É essencial para se conseguir desenvolver soluções e inovação que tenham um maior engajamento.

Não há inovação sem a diversidade. Não tem como inovar com pessoas iguais, que pensam igual, com a mesma formação, que tiveram as mesmas oportunidades e os mesmos privilégios. Empresa alguma sairá da bolha se não adotar a diversidade e, consequentemente, não conseguirá inovar. Não existe uma sem a outra.

Diversidade só de gênero?

Quando se fala em diversidade, não se fala somente na de gênero, mas também na cultural e na de gerações. Abarcar as mais variadas culturas de um mesmo país ou de outros, dar oportunidade a gerações diferentes, trabalhar com todas as faixas etárias possíveis é o que dará condições a uma organização de inovar e esses três eixos: diversidade de gênero, de cultura e de gerações são fundamentais para isso.

O papel dos líderes

O grande papel dos bons líderes é, justamente, desbravar a Cultura de Inovação. Muitas empresas ainda insistem em modelos antigos, em que existe um cacique e muitos “chefes”, todos sentados em volta de uma mesa, vestindo o mesmo estilo de roupas, pessoas iguais, ideias iguais, discutindo os mesmos assuntos e ainda acreditando que estão inovando.

Não há diversidade quando se tem o mesmo point of view. São as diferentes visões sobre o mesmo assunto, os contrapontos, que nos deixam mais inteligentes. Se todos concordarem sempre, como será possível inovar? É imprescindível provocar, estimular, trazer novas perspectivas a um mesmo assunto.

Consumidores escolhem a marca mais engajada

É preciso trazer mais diversidade à mesa. Algumas organizações se preocupam em como conseguir realizar tantas modificações e adequações. Como fazer essa integração de uma maneira mais acelerada, como desafiar o status quo e fazer o mundo funcionar de uma maneira diferente e melhor?

De uns tempos para cá, muitas pessoas já escolhem empresas que estão conectadas ao assunto diversidade e que o fazem de modo responsável e sério. Se estamos pensando em inovação como sobrevivência no futuro e se essa pauta não estiver ativa, talvez essa branding não seja escolhida por um consumidor que vem com um comportamento de responsabilidade social diferente. Essa é uma reflexão muito importante que as empresas precisam fazer.

Ter a coragem de assumir riscos

É preciso entender que todo processo inovador é cercado de riscos e incertezas. Criar uma nova maneira de pensar e uma nova solução para um problema envolve algumas variáveis e inúmeras oportunidades.

Para inovar, é preciso coragem. Nem sempre você e o seu time vão acertar nas escolhas, mas o importante é perceber que o erro também faz parte do processo. O desafio aqui é corrigir a rota, recuperando os resultados e saindo mais forte do processo. Não ter medo, ser ousado, criativo e inovador.

Inovar significa, entre outras coisas, ter a capacidade de não só unir ideias diferentes, mas também gerações e gêneros diversos em busca de um objetivo comum. Neste cenário atual, mais do que nunca, a inovação é essencial para a sobrevivência de qualquer organização e para se ter um diferencial competitivo, a fim de se manter à frente da concorrência.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment

dois × 5 =