Por que alguns negócios não atingem bons resultados com o Google?

Não é raro, algumas pessoas me procurarem mesmo após realizarem um trabalho de SEO ou Google Ads reclamando que não atingiram bons resultados. Que a expectativa inicial não foi atingida, a receita não pagou os custos de campanha, agência, de marketing digital, em geral.

Antes de tudo, o que é um bom resultado? Pode ser a venda dos seus produtos ou serviços, um contato para informações, o download de um software, o teste de uma aplicação, entre outras opções. O fato é que muitas vezes o cliente sabe que precisa vender muito para ter o resultado, mas não tem isso de uma forma matemática. 

Falta de visão do que é resultado.

Na minha opinião é o principal problema. Se você vai investir em uma estratégia que envolve o mecanismo de busca, com certeza essa não é a sua única origem de clientes. Provavelmente irá atrás de outras fontes. Quanto vai investir em cada uma? Qual o retorno esperado no longo prazo? O custo por aquisição deve ficar em quanto? São perguntas úteis para que se possa desenhar um bom plano de ação.

Saber o que é resultado para o seu negócio é quase tão importante quanto a realização dele!

Imagine o cenário:

Você tem um e-commerce, sabe quanto precisa faturar por mês para ter o negócio “de pé”, além disso, uma boa distribuição de lucros. Também sabe de onde vem boa parte das suas vendas, se é das vendas online, da TV, jornal, etc. Qual é o resultado médio de cada uma dessas mídias? Quais delas podem ser melhor exploradas? Esse é o raciocínio que se deve buscar. 

Caso o maior resultado médio venha do online, é provável que boa parte das vendas venha de Google e nesse caso, sabendo onde se quer chegar, pode-se explorar os resultados de busca paga (Google Ads, antigo Google Adwords) e orgânica. As duas se complementam muito bem.

A priorização das coisas.

No meu artigo “Como trabalhar o conteúdo para ser relevante em SEO” eu falei sobre entender as principais landing pages de um site para depois as suas palavras-chave. Principalmente quais as famílias de palavras os clientes mais buscam. 

É possível elaborar estratégias que incluam busca orgânica e paga, também façam as duas “conversar”. Principalmente para aquelas palavras vitais para o negócio. Enquanto não existe um posicionamento na busca orgânica, a keyword é trabalhada na busca paga em seus grupos de anúncios. É algo que pode ser revisto depois, conforme o SEO do site vai melhorando e o site vai conquistando posicionamento.

Muitas vezes se opta também por manter o investimento na palavra, nas duas frentes, por questões estratégicas. Tudo precisa ser analisado. Já vi casos, onde ela era cara, se tinha um bom posicionamento orgânico do site, mas mesmo ao pausar ela na campanha “buuuum”, as vendas despencavam. Ou seja, aquele represamento de cliques que todos esperavam que acontecesse, não aconteceu. Por isso é importante priorizar algumas ações e determinações. 

Da mesma forma que algumas páginas são prioridades, melhorias no site, culturas relacionadas ao conteúdo e medições, também são.

Como se chega a conclusão que uma página é prioridade?

Em uma reunião com um cliente, uma vez, ele me comentou que precisava vender somente dez unidades de um determinado produto para bater a meta do mês. Era um produto com um ticket médio alto, com alta rentabilidade para o negócio, afinal a sua margem de lucro era alta. Nós não paramos todo o trabalho de SEO e Google Ads para o negócio, para focar só naquele produto. Tínhamos uma estratégia prioritária, para aqueles e mais alguns, onde sabíamos que a margem de lucro era alta, não eram difíceis de vender (uma vez que o cliente tinha boas condições frente à concorrência) e nós conhecíamos bem o mercado. Todos os meses as vendas online batiam as metas financeiras.

É como eu digo sempre: menos é mais. Quanto mais se dispersa a prioridade, menos importante ela é.

Esse mindset leva você por um caminho onde começa a priorizar tudo que leva até o sucesso daquela estratégia. Se uma página é relevante, certamente ela tem uma palavra ou grupo relacionado ao seu tema. Mesmo que todo o negócio tenha outras, você dará um grau de atenção quando for trabalhar os seus conteúdos, as suas ações de link building, as suas campanhas de Google Ads, quando criar anúncios de display, quando planejar o seu remarketing, entre outras ações.

Se uma landing page, referente a um produto possui uma importância maior referente às outras, certamente ela pode contribuir com uma fatia significativa do faturamento. Dessa forma, você pode até olhar vários indicadores, mas você vai acabar criando um que reflete essa fatia, e vai acompanhá-lo no dia a dia.

Saiba o que você está vendendo. Ter uma meta é importante, mas entender como o resultado de cada ação vai contribuir para a meta é vital para a sua estratégia de busca. O que eu quero dizer com esse discurso é: não adianta você trabalhar genericamente para posicionar todas as páginas de um site na busca orgânica e paga, com o mesmo nível de prioridade

Devo trabalhar para posicionar o produto X vai me fazer atingir 10% da meta total, após vender 100 unidades ou o produto Y que eu chegarei em 50% da meta total, vendendo a mesma quantidade? Isso é tão oito ou oitenta assim? Claro que não, há empresas que optam por realizar o esforço igual para vender os dois por motivos estratégicos, mas tenha esse mindset antes de elaborar qualquer ação.

Entenda o que é necessário para atingir essa meta. Eu sei quais os locais mais importantes do meu site, como as pessoas pesquisam antes de entrar, então chegou a hora de trabalhar para atrair esse público. Essas páginas precisam ser adequadas em todos os pilares do SEO a campanhas pagas, com bom orçamentos, estruturadas e otimizadas. E a minha dica mais importante aqui, a equipe precisa estar ciente das prioridades. Já vi muitos, mas muitos problemas nesse ponto. O teatro de operações estava perfeito, porém, a equipe não estava ciente das prioridades.

Acompanhe os indicadores no dia a dia. Mas somente aqueles que vão prover informações relacionadas com as prioridades que você determinou.

Por último, independente do caminho que você seguir, não esqueça que boa parte dos sites tem como a maioria, visitantes que estão usando dispositivos móveis. Considere um plano que privilegie o seu público alvo e os seus respectivos aparelhos.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment

4 × 2 =